Latest

Negligência afluente

Sociedade expressa grande preocupação pelas crianças pobres e mal servidas e pela maior probabilidade de não terem acesso a cuidados de saúde e educação, ou de poderem virar-se para drugs ou crime na idade adulta. É dada menos atenção aos filhos de pais abastados que têm o seu próprio conjunto de problemas. A negligência emocional…

Leia mais

O que é Terapia Comportamental Dialética?

A terapia comportamental dialética (DBT), desenvolvida por Marsha Linehan, Ph. na década de 1980, é um tipo de terapia de conversa originalmente projetada para pessoas suicidas de alto risco diagnosticadas com transtorno de personalidade limítrofe. Hoje, o DBT é usado para tratar pessoas que lutam com uma variedade de emoções complexas e intensas, incluindo abuso…

Leia mais

Benefícios do Yoga no Tratamento da Dependência

Em termos gerais, o yoga é um exercício que beneficia o corpo, a mente e o espírito através da integração de técnicas de respiração, exercícios de fortalecimento, posturas e meditação. Existem muitos tipos de ioga; todos são benéficos. Embora a ioga seja uma prática secular, é uma modalidade de tratamento relativamente nova no campo das…

Leia mais

Co to jest dialektyczna terapia behawioralna?

A terapia comportamental dialética (DBT), desenvolvida por Marsha Linehan, Ph. na década de 1980, é um tipo de terapia de conversa originalmente projetada para pessoas suicidas de alto risco diagnosticadas com transtorno de personalidade limítrofe. Hoje, o DBT é usado para tratar pessoas que lutam com uma variedade de emoções complexas e intensas, incluindo abuso…

Leia mais
anterior
/
próximo

Negligência afluente

Sociedade expressa grande preocupação pelas crianças pobres e mal servidas e pela maior probabilidade de não terem acesso a cuidados de saúde e educação, ou de poderem virar-se para drugs ou crime na idade adulta. É dada menos atenção aos filhos de pais abastados que têm o seu próprio conjunto de problemas. A negligência emocional muitas vezes passa despercebida ou não é relatada, o que pode ser devido a um preconceito contra pessoas abastadas, privilegiadas ou uma tendência para culpar os pais por estragar ou indulgenciar os seus filhos.

Os pais abastados reconhecem frequentemente que os seus filhos estão a lutar com problemas comportamentais, problemas académicos ou relações sociais, mas podem hesitar em procurar ajuda por medo de serem castigados, ou podem sentir vergonha ou culpa pela sua riqueza. Como quaisquer pais, os pais ricos amam e cuidam dos seus filhos; contudo, quando surgem problemas, programas familiares ou aconselhamento são raramente oferecidos.

É verdade que as crianças abastadas podem ser sobrecarregadas com dinheiro ou bens materiais, ao mesmo tempo que são esfomeadas de amor e afecto. A negligência pode ocorrer quando os pais estão demasiado ocupados para passar tempo com as crianças, contratando amas ou enviando os seus descendentes para o internato enquanto eles passam tempo a viajar por negócios ou lazer. As realizações académicas ou o bom comportamento são recompensados com bens materiais, mas demasiados luxos no início da vida podem resultar na falta de fronteiras e num poderoso sentido de direito, mesmo Narcisismo.

A cultura das celebridades de hoje agravou a situação, já que a riqueza, o poder e a fama são vistos como objectivos dignos.

Extremamente baixa tolerância à frustração- As crianças que crescem sem limites tendem a ter pouco controlo impulsivo e são facilmente frustradas quando as coisas não seguem o seu caminho. Os pais muitas vezes cedem às suas exigências para evitar birras de mau humor. Esta baixa tolerância à frustração continua até à idade adulta.

> forte>Sentido de direito- Uma criança que aprende que o mau comportamento tem resultados positivos desenvolverá um sentido de direito com muito pouca preocupação com as necessidades ou direitos de outras pessoas. O sentido de direito estende-se até à idade adulta, e é muitas vezes manifestado pelo uso de linguagem humilhante que pode ser racista ou sexista por natureza.

> forte>> Falta de culpa apropriada- A culpa nem sempre é uma emoção negativa; ela serve como uma poderosa reacção instintiva que nos diz que fizemos algo de errado. No entanto, um sentimento de culpa saudável desenvolve-se apenas no contexto de relações próximas. Uma infância em que as relações estão ausentes mas cada desejo é concedido cria adultos que não têm a culpa apropriada ou um sentido de justiça moral

> forte> Falta de capacidade de lidar com os problemas- As crianças aprendem a lidar com problemas difíceis falando sobre situações com um pai que escuta activamente e fornece orientação. Uma criança que não aprende maneiras saudáveis de lidar com os problemas da vida vê as dificuldades da vida como esmagadoras.

>> forte>Tédio- As crianças raramente apreciam regras e rotinas, que acham incómodas e aborrecidas. Contudo, as regras e rotinas desenvolvem a estrutura e o auto-controlo necessários para enfrentar os desafios da vida diária à medida que as crianças crescem na idade adulta. As crianças que crescem sem estrutura tornam-se adultos que são ameaçados por qualquer coisa que se interponha no seu caminho. Os bens materiais e a procura de emoção tomam muitas vezes o lugar dos relacionamentos e da proximidade emocional. O comportamento viciante é comum.

> forte> falta de propósito- Quando as crianças crescem sem responsabilidades, elas não têm objectivos ou sentido de propósito. Elas tendem a ser emocionalmente vazias, e a sua tensão interior pode resultar em agressão verbal ou física para com os outros.

>> forte> Culpar os outros- Os jovens adultos muitas vezes dependem da riqueza familiar ou de fundos fiduciários, mas ao mesmo tempo, eles são rápidos a culpar os pais e outras pessoas por problemas nas suas vidas. Os pais muitas vezes aceitam a culpa porque já sentem sentimentos de culpa ou fracasso.

>forte>>Pobres capacidades de planeamento- As crianças que crescem com um sentido de direito muitas vezes visualizam ou um futuro irrealista de sonhos e desejos grandiosos, ou tornam-se adultos tão temerosos de desafios e incertezas que se arrastam através da vida sem tutela. Os adultos ricos, jovens adultos podem andar à deriva sem âncoras ou cair vítimas de cultos ou outras formas de exploração, enquanto outros podem mostrar uma visão distorcida da realidade, o que pode resultar em comportamentos bizarros e apropriados.

> forte> empatia reduzida- Os adultos que crescem em famílias abastadas são frequentemente imaturos emocionalmente e podem ter dificuldade em captar sinais sociais e responder às emoções e necessidades dos outros. Como resultado, eles podem ter grande dificuldade em integrar-se em grupos sociais, o que pode levar a sentimentos de isolamento e solidão. Os laços sociais estabelecidos na infância tendem a ser superficiais e raramente continuam na idade adulta.

> forte>Problemas que suportam a pressão dos pares- Os adultos que crescem rodeados de riqueza e privilégios tendem a ter personalidades fracas, jogadas em excesso pela grandiosidade. Como resultado, eles podem sentir-se incertos quando se trata de enfrentar a pressão dos pares ou a sedução de bens materiais.

> forte> Dificuldades com a competição- Os filhos de famílias ricas têm muitas vezes dificuldade em cooperar com outros, o que faz da competição ou uma batalha a ser ganha ou um problema a ser evitado a fim de evitar ansiedade e sentimentos de insegurança.

> forte>Prevenir e tratar a negligência abastada- Os pais e as crianças devem compreender a importância de criar limites e dizer não, e que a vida tem sempre dificuldades, mesmo na presença de riqueza extrema. A capacidade de expressar sentimentos, incluindo o amor, é crítica.

>forte>>> procurar ajuda- Pais e filhos ricos beneficiam da perícia de um psiquiatra qualificado, que pode avaliar a situação e descartar doenças mentais, abuso de substâncias, ou distúrbios como o TDAH. Um psiquiatra também pode identificar depressão, ansiedade ou qualquer outra questão subjacente. A terapia familiar ajuda os pais a lidar com a culpa e a vergonha e a aprender a quebrar o ciclo de negligência afluente.

> forte> O caminho para a felicidade: O aconselhamento ajuda as famílias ricas a perceberem que a verdadeira felicidade não vem do sucesso ou da riqueza material, mas da realização e de um sentido de propósito. Ferramentas para encontrar um propósito na vida incluem filantropia, esforços empresariais, participação em actividades que promovam mudanças sociais positivas e ser um role model para os outros.

Este artigo foi publicado em inglês 2023-07-11 23:10:44 e traduzido em Português em 2021

Os posts mais recentes

Os nossos artigos privados e comunicados de imprensa